Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tens a loucura que a manhã ainda te traz

Este blog resume-se, basicamente, aos meus devaneios mentais.

Tens a loucura que a manhã ainda te traz

Este blog resume-se, basicamente, aos meus devaneios mentais.

24
Mai12

Está bom tempo hoje, não?

Catarina Watson.

E, ao fim da tarde, depois de uma semana um tanto ou quanto «preenchida»,  decidimos ir dar uma volta para "desanuviar". Aliás, ele quis; já eu não estava com a mínima vontade, sinceramente. Mas vá,como há já algum tempo que eu não trazia nada de minimamente novo à minha rotina, lá decidi fazer-lhe a vontade.

Começámos pelos jardins. Sentámo-nos num banco, à sombra, a ouvir "Hey, hey, what can i do?" dos Led Zeppelin, e a nossa conversa iniciou-se quando eu larguei um: "Está mesmo bom tempo para se estar aqui hoje. E, vá lá, até nem está muita gente."

Ele roubou-me o Ipod, começou a dizer mal das músicas que eu ouvia enquanto sorria e, isso, foi o bastante para reavivar o sepulcro das nossas melhores memórias.

Ele: "Eish, lembras-te quando o Tiago trazia uma garrafa para aqui e começava a fazer os jogos parvos dele?" 

Inevitavelmente, rimo-nos os dois. Aos poucos, fomos desenrolando todos os pormenores, todos os detalhes, e o resultado foi absolutamente surpreendente.

Falámos das nossas primeiras "saídas"; de nós próprios, dos nossos amigos, de como eles mudaram, de como NÓS mudámos. Comparamos tudo e nada. Lembrámo-nos desde as nossas brincadeiras de "Quem diz é quem é", dos momentos felizes que ali tinhamos passado, e dos tristes também.

Despejámos tudo o que carregavamos cá dentro, e rimos. Rimos tanto, daqueles risos que causam uma feliz «dor de barriga».

Quando olhámos para o relógio já se tinham passado mais de duas horas.

Ao fundo, o sol anunciava o recolher do Mundo, à medida que nos chegava o barulho do trânsito do regresso a casa. Decidimos ir embora e deixar todas as nossas confissões à guarda daquele velho banco de jardim, testemunho de tantas e quantas histórias.

Eu retomei o caminho para casa, e ele começou por tomar a direcção oposta, quando eu me lembro e grito: Hey, o meu Ipod?

Ele: "Devolvo-te amanhã. Ouvi dizer que vai estar bom tempo", e foi-se embora.

Enigmático, como sempre. Pois bem, amanhã lá estarei.

3 comentários

Comentar post